sábado, 5 de setembro de 2015

SEC faz 1ª Convocação de Professores do Edital 001/2015 do REDA

                                                                    Foto:reprodução/google


A SEC divulgou hoje no Diário Oficial do Estado(5) a primeira convocação do processo seletivo REDA referente ao Edital nº 001/2015 para contratação de Professores do Estado.
São convocações para todos os Núcleos de Educação do Estado. Confira a lista dos professores e a documentação a ser apresentada pelos docentes:


EDITAL DE CONVOCAÇÃO
Cargo -Professor Educação Básica

O SECRETÁRIO DA EDUCAÇÃO DO ESTADO DA BAHIA, no uso de suas atribuições e considerando a homologação do Resultado Final do Processo Seletivo Simplificado, Edital SEC/SUDEPE Nº 001/2015 de 04/06/2015, da Seleção Pública para contratação temporária de pessoal na função de Professor, em caráter emergencial, pelo Regime Especial de Direito Administrativo - REDA.

RESOLVE:

Art. 1º- Ficam convocados os candidatos, por ordem de classificação, constantes no presente  Edital,  a comparecer  no prazo de 10 (dez) dias úteis, a partir da data desta publicação, no horário das 8h30 às 12h e das 14h00 às 17h30, nos seguintes  locais:
Os candidatos aprovados para o Interior do Estado deverão comparecer nas sedes dos NRE (Núcleo Regional de Educação) a que pertence o município para o qual foram aprovados. 
Art. 2º-  Os candidatos deverão comparecer munidos dos seguintes documentos em original e fotocópia:
a) original e cópia do diploma, devidamente registrado de conclusão do curso de nível superior para a função temporária que concorreu expedido por instituição de ensino reconhecida pelo Ministério da Educação - MEC;
b) original e cópia Diploma de Conclusão do Curso, relacionado a função temporária com pré-requisito/escolaridade de nível médio expedido por instituição de ensino reconhecida pelo Ministério da Educação - MEC;
c) original e cópia dos títulos obtidos no exterior revalidados no Brasil, se for o caso;
d) original e cópia carteira de identidade, CPF, certidão de nascimento ou de casamento,se for o caso;
e) original e cópia da certidão de nascimento ou RG dos dependentes;
f)) número de conta corrente do Banco do Brasil;
g) original e cópia título de eleitor e dos comprovantes dos dois últimos pleitos ou certidão de quitação eleitoral fornecida pelo respectivo cartório eleitoral;
h) original e cópia  do ato de exoneração ou do requerimento no ato da posse para o candidato que ocupe cargo, emprego ou função pública inacumulável na forma do art. 37, inciso XVI, da Constituição Federal;
i) declaração de bens;
j) original e cópia PIS/PASEP (caso seja inscrito);
k) Original e Cópia da Carteira de Trabalho e Previdência Social - CTPS para comprovação da experiência profissional conforme informado na Ficha de Inscrição Obrigatória;
l) declaração de não-acumulação de cargos, empregos e funções, ainda que não remunerados;
m) original e cópia certificado de reservista para os homens;
n) 03 (três) fotos 3x4;
o) original e cópia comprovação de residência dos últimos 08 (oito) anos;
p) certidão negativa dos setores de distribuição dos foros criminais dos lugares em que tenha residido, nos últimos 08 (oito) anos, da Justiça Federal;
q) certidão negativa dos setores de distribuição dos foros criminais dos lugares em que tenha residido, nos últimos 08 (oito) anos, da Justiça Estadual;
r) folha de antecedentes da Polícia Federal de onde tenha residido nos últimos 08 (oito) anos, expedida, no máximo, há 06 (seis) meses;
s) folha de antecedentes da Polícia do(s) Estado(s) onde tenha residido nos últimos 08 (oito) anos, expedida, no máximo, há seis meses;
t) certidão negativa da Justiça Militar Federal, inclusive para os candidatos do sexo feminino;
u) certidão negativa da Justiça Militar Estadual ou do Distrito Federal, inclusive para os candidatos do sexo feminino;
w) certidão negativa da Justiça Eleitoral;
v) certidão negativa do Cadastro Nacional de Condenações Cíveis por Ato de Improbidade Administrativa do Conselho Nacional de Justiça;
x) certidão negativa do Conselho de Classe ou órgão profissional competente;
y) declaração de que:
I - não tenha contra si decisão condenatória transitada em julgado ou proferida por órgão judicial colegiado, desde a condenação até o transcurso do prazo de 08 (oito) anos após o cumprimento da pena pelos crimes contra a economia popular, a fé pública, a administração pública e o patrimônio público; contra o patrimônio privado, o sistema financeiro, o mercado de capitais e os previstos na lei que regula a falência; contra o meio ambiente e a saúde pública; eleitorais, para os quais a lei comine pena privativa de liberdade; de abuso de autoridade, nos casos em que houver condenação a perda do cargo ou a inabilitação para o exercício da função pública; de lavagem ou ocultação de bens, direitos e valores; de tráfico de entorpecentes e drogas afins, racismo, tortura, terrorismo e hediondos; de redução à condição análoga a de escravo; contra a vida e a dignidade sexual; praticados por organização criminosa, quadrilha ou bando;
II - não tenha perdido cargo eletivo de governador e de vice-governador do Estado e de prefeito e de vice-prefeito, por infringência a dispositivo da Constituição Estadual ou da Lei Orgânica do Município, nos últimos 08 (oito) anos;
III - não tenha contra si representação julgada procedente pela justiça eleitoral em decisão transitada em julgado, em processo de apuração de abuso de poder econômico ou político nos últimos 08 (oito) anos;
IV - não tenha contra si decretação da suspensão dos direitos políticos, em decisão transitada em julgado ou por órgão judicial colegiado, por ato doloso e de improbidade administrativa que importe lesão ao patrimônio público e enriquecimento ilícito, desde a condenação ou o trânsito em julgado até o transcurso do prazo de 08 (oito) anos após o cumprimento da pena;
V - não tenha sido excluído do exercício da profissão, por decisão sancionatória do órgão profissional competente, em decorrência de infração ético-profissional, pelo prazo de 08 (oito) anos, salvo se o ato houver sido anulado ou suspenso pelo Poder Judiciário;
VI - não tenha sido demitido do serviço público em decorrência de processo administrativo ou judicial, pelo prazo de 08 (oito) anos, contados da decisão, salvo se o ato houver sido suspenso ou anulado pelo Poder Judiciário;
VII - no caso de Magistrado e de membro do Ministério Público, não tenha sido aposentado compulsoriamente por decisão sancionatória, que não tenha perdido o cargo por sentença ou que não tenha pedido exoneração ou aposentadoria voluntária na pendência de processo administrativo disciplinar, pelo prazo de 08 (oito) anos;
VIII - não tenha sido responsável por atos julgados irregulares por decisão definitiva do Tribunal de Contas da União, do Tribunal de Contas de Estado, do Distrito Federal ou de Município, ou ainda, por conselho de contas de Município;
IX - não tenha sido punido, em decisão da qual não caiba recurso administrativo, em processo disciplinar por ato lesivo ao patrimônio público de qualquer esfera de governo;
z) procuração para os candidatos que optem por se fazerem representados por terceiro, com firma devidamente reconhecida em cartório;
aa) comprovação de ter exercido efetivamente a função de jurado;
ab) Atestado de Saúde Ocupacional - ASO, expedido por Médico do Trabalho ou Serviço Médico Especializado em Medicina Ocupacional;
ac) Cópia dos exames apresentados quando da realização da avaliação médica.
O candidato que, na data da contratação, não reunir os documentos requisitados e enumerados acima, perderá o direito ao ingresso na referida função temporária.


E XAMES
VALIDADE DO EXAME
 Hemograma
3 meses
Glicemia
3 meses
Sumario de urina
3 meses
Parasitológico de Fezes
3 meses
Acuidade visual (emitida por medico Oftalmologista)
3 meses
Rx de Tórax (PA) com Laudo
6 meses
Eletrocardiograma com Laudo(a partir dos 40 anos)
6 meses
PSA da próstata (homens a partir dos 40 anos)
6 meses


Salvador,   04  de setembro  de  2015
OSVALDO BARRETO FILHO
Secretário da Educação

1

Em Salvador: "Estou triste de ver que negros e negras, aqui, têm uma autoridade política tão reduzida" diz Carl Hart


 Em Salvador, "negros parecem estar nas mãos de pessoas brancas", diz pesquisador Carl Hart (Foto: Almiro Lopes)
 Negros parecem estar nas mãos de pessoas brancas-diz Hart -foto:Almiro Lopes

Pesquisador das drogas há mais de 23 anos, o neurocientista Carl Hart, 48, esteve em Salvador na última semana para uma série de debates com a Iniciativa Negra por uma Nova Política Sobre Drogas (INNPD). Nascido em Miami, cidade localizada no estado americano da Flórida, tornou-se professor da universidade de Colúmbia, em Nova York (EUA), onde desenvolveu grande parte das suas pesquisas sobre o tema. Longe do pensamento binário que relaciona a questão das drogas a saúde e segurança pública, Hart acredita existir um outro viés, que ele conta em entrevista concedida ao CORREIO durante a sua passagem por Salvador. Sobre a cidade, seu sentimento é ambíguo.
Você estuda as drogas há mais de 23 anos. Como surgiu o interesse por estudá-las?
O interesse era de compreender o funcionamento do cérebro. E as drogas eram um instrumento para fazer essa manipulação, as células do cérebro. Foi assim que eu me tornei interessado.
Como é possível fazer um consumo consciente de drogas?
Algumas pessoas bebem para ficar embriagadas, não há problema algum com isso. A mesma coisa é com as drogas. Há pessoas que usam drogas, e eu sou uma dessas pessoas, e elas trabalham, e lidam com as suas possibilidades cotidianas.
Drogas é uma questão de saúde pública, de segurança pública ou de racismo? Qual a sua ótica sobre essa questão?
Pensa em estar dirigindo um carro. A maioria das pessoas que dirigem carro fazem isso sem nenhum problema. A maioria das pessoas que usam drogas, fazem isso sem problema. Elas vão ao trabalho, cuidam da família, fazem parte das nossas esferas de governo, estão espalhadas por toda a sociedade. Há algumas pessoas que têm problemas com as drogas, e talvez seja uma questão de saúde, mas isso é um número pequeno de pessoas. Mas há também pessoas que comportam-se mal, e que também fazem o uso de drogas. Mas a vasta maioria dessas pessoas não têm problemas. Então o problema não é as drogas, não é um problema de drogas.
Em uma das suas pesquisas você pontua que 80% a 90% das pessoas que consomem crack, heroína, maconha não são viciadas, ao contrário das pessoas que consomem diariamente as drogas ditas lícitas. Como você chegou a essa conclusão?
Não foi somente eu, isso é axiomático, é um conhecimento científico comum. Há dezenas de periódicos científicos que fazem esse argumento.
Na Bahia, assim como todo o país, a maioria das prisões ocorre em função do tráfico ou envolvimento com drogas. Você considera que existe um preconceito por parte do estado em relação a isso?
Acho que o que nós temos aqui é uma situação de apartheid racial. Preconceito é algo que está na cabeça das pessoas, é algo pensado. O apartheid e a discriminação é algo que é feito, que é perpetrado. Vocês estão colocando essas crianças  e jovens negros, encarcerados em grande parte por conta do seu pertencimento racial. Então não é preconceito racial, é uma discriminação racial, um apartheid racial.
Atualmente, aqui no Brasil, discute-se nas esferas política e social a descriminalização das drogas. De que forma a descriminalização pode ser uma ferramenta contra a guerra ao tráfico e as mortes contra a juventude negra?
A descriminalização não fará nada em torno das questões levantadas. A descriminalização não tem esse objetivo. A descriminalização tem como objetivo ter a certeza de que as pessoas não sejam encarceradas por possuir ou por estar portando drogas. O tráfico de drogas permanece ilícito. A descriminalização não fará nada para regular, por exemplo, a polícia que é tão desregulada. Precisamos ter a criminalização das forças policiais, se queremos tomar alguma iniciativa em relação aos assassinatos.
Em fevereiro deste ano, aqui em Salvador, 13 jovens negros foram mortos em uma operação da polícia em um bairro periférico da capital. À época, o Estado afirmou que os mortos possuíam envolvimento com o tráfico, informação que foi contestada posteriormente. Você acredita que o Estado usa a guerra às drogas para matar jovens negros?
Eu não acredito ser esse o caso. Eu tenho certeza que essa é a questão.
A política de guerra as drogas norte-americana tem causado consequências aqui no Brasil? Quais são essas consequências?
Nos Estados Unidos, nós dissemos às pessoas que o crack era algo tão viciante, que bastava ser usado uma vez para que as pessoas ficassem automaticamente viciadas. E nós sabemos agora que isso é mentira. Mas, parece que aqui no Brasil não há essa compreensão. As pessoas aqui, as autoridades brasileiras, estão fazendo o que as autoridades norte-americanas fizeram nos anos 80. A abordagem foi incorreta e teve como consequência o fato de que nós prendemos, encarceramos muitas pessoas negras. No momento, 1 em cada 3 homens negros têm essa possibilidade de ser encarcerado nos EUA, principalmente em função dessas políticas contra as drogas. O Brasil, no momento, está agindo de uma maneira semelhante, porque políticos que são menos que inteligentes, aqui no Brasil, acreditam que as medidas que foram tomadas nos EUA foram apropriadas.
Diante do que você viu, leu e ouviu, quais são as primeiras impressões que você tem da Bahia?
A minha impressão inicial é de que eu estou muito orgulhoso de ver essas pessoas negras, bonitas, mas por outro lado estou triste de ver que negras e negras, aqui, têm uma autoridade política tão reduzida. O destino de negros e negras, aqui, parece estar nas mãos de pessoas brancas, que têm pouca compreensão do negro, da negra e de sua cultura. Então, para concluir, eu diria que tenho sentimentos ambíguos em relação a Bahia. Estou intensamente orgulhoso, e ao mesmo tempo, profundamente triste. 
Fonte:CorreiodaBahia * Tradução: Raquel Luciana de Souza/reprodução

Fezes de galinha coloca 37 carros para rodar no Brasil


carro movido a titica de galinha
Carro movido a biometano, que é gerado a partir das fezes de galinha (VEJA.com/Divulgação)
Fezes de mais de 80.000 galinhas colocaram uma frota de 37 veículos para rodar nesta quinta-feira em Foz do Iguaçu, no Paraná. Os veículos foram abastecidos com o gás biometano, que é gerado a partir da decomposição dos dejetos das aves.

A iniciativa partiu de um grupo de pesquisadores da usina hidrelétrica de Itaipu, que já chegou a desembolsar 20 milhões de reais no projeto, iniciado há cinco anos. Tudo começou quando a instituição percebeu que o rio Paraná estava sendo poluído por fezes de animais criados na região, onde predomina o agronegócio. Sabendo do potencial energético do metano, os pesquisadores desenvolveram uma maneira de dar um fim mais nobre para o gás, que é altamente prejudicial ao meio ambiente.

As fezes são recolhidas de uma granja em Foz do Iguaçu, localizada a cem quilômetros da usina, e lançadas em um recipiente chamado de biodigestor. Ali, elas passam por um processo de fermentação e filtragem, de onde três gases são liberados - carbônico (CO2), sulfídrico (H2S) [o do cheiro de ovo podre] e o metano. Separado os gases, o metano é colocado em cilindros e transportado para Itaipu, que a partir de ontem passou a abastecer 14% da sua frota de carros com o biocombustível. A matéria física dos dejetos é aproveitada para fazer fertilizantes.

Segundo o presidente do Centro Internacional de Energia Renováveis Biogás (CBiogás), Rodrigo Regis, 84.000 aves produzem aproximadamente 1.000 metros cúbicos de gás biometano por dia. "Isso dá para a abastecer toda a frota de táxi de Foz do Iguaçu", calcula ele. O rendimento do biometano é equivalente ao do GNV (Gás Natural Veicular), que é derivado do petróleo, e 1,4 vezes maior do que o do etanol. "Enquanto com o etanol dá para rodar em média 8 quilômetros, com o biometano, eu ando 14 quilômetros", disse Regis.

O custo também é menor. Segundo o superintendente de Energias Renováveis de Itaipu, Herlon Goelzer, cada metro cúbico por quilômetro rodado de metanol vale 0,24 centavos. Já o etanol é de 0,27 centavos por litro, de acordo com os preços praticados em Foz. "Nós vislumbramos que podemos vir a fornecer a partir de 2016 para a frota comercial", afirmou Goelzer. Segundo ele, o principal objetivo é tornar as fazendas da região independentes energeticamente. "Além do uso veicular, o biogás também substitui a lenha para secagem dos grãos e o GLP (gás liquefeito de petróleo) para movimentar motores". O gás ainda pode ser queimado para gerar energia térmica.
Não é só dos dejetos das galinhas que dá para produzir energia.

 Fezes de porco, vaca e até de seres humanos também podem ser aproveitadas para o fim. A diferença é que os dejetos das galinhas têm um potencial energético muito maior que os dos outros animais. Goelzer lembra da montanha de cocô que é produzido no Brasil anualmente. "Estima-se que o país produza 20 bilhões de metro cúbico de biometanol por ano. Oito bilhões disso é originado de animais e resíduos agrícolas", afirma. "Imagina o potencial energético que está sendo desperdiçado."

Fonte:Veja



Navio boliviano foi flagrado com carregamento de armas para o Estado Islâmico

    Autoridades gregas tomam um cargueiro de bandeira boliviana, transportando um carregamento clandestino de armas que seguia da Turquia para a Líbia, no porto de Heraklion, na ilha de Creta
    Cargueiro boliviano Haddad 1, ancorado no porto grego de Heraklion. Tráfico de armas para os terroristas do Estado Islâmico(Hellenic Coast Guard/Divulgação)
    A Guarda Costeira da Grécia divulgou ontem uma apreensão que coloca o governo de Evo Morales no centro da crise humanitária que já levou à morte de mais de 330.000 pessoas na guerra civil da Síria e gerou um saldo de cerca de 4 milhões de refugiados internacionais. As autoridades gregas aprenderam no Mediterrâneo um navio de bandeira boliviana carregado de armas que seriam entregues para os extremistas do Estado Islâmico (EI).

    O carregamento de 5.000 armas, principalmente fuzis, e cerca de meio milhão de cartuchos estava escondido em catorze contêineres embarcados na Turquia e que tinham como destino a cidade Líbia de Misurata. A Líbia está sob embargo da Organização das Nações Unidas para o comércio de armas, pelo fato de o país ser uma das áreas sob controle dos extremistas dos EI.


    O navio Haddad 1, partiu da cidade egípcia de Alexandria e, entre 17 e 29 de agosto, passou pelas cidades de Famagusta, no Chipre, e Iskenderun, na Turquia. As autoridades turcas suspeitam que, antes de ser carregado com armas no porto turco, o cargueiro boliviano tenha sido usado para transportar refugiados do Egito para Turquia.

    Registrado sob a responsabilidade do Ministério da Defesa da Bolívia, o navio Haddad 1 tem seus movimentos e registros de carga sob responsabilidade do governo de Evo Morales. Por lei, os armadores precisam reportar as rotas e os despachos de carga às autoridades de La Paz. Como a embarcação está envolvida em uma violação dos embargos da ONU, o governo de Evo Morales será obrigado a prestar contas sobre o uso de um navio com a bandeira de seu país em um caso de tráfico de armas e em outro possível crime: o de tráfico de pessoas.InformaçõesdeVeja.

sexta-feira, 4 de setembro de 2015

Milhares de crianças atravessam a Europa sozinhas com onda de refugiados

Crianças refugiadas sírias olham para fora de sua tenda durante visita de Stephen O'Brien, diretor de assuntos humanitários da ONU, em Saadnayel no Vale de Bekaa no Líbano
Crianças refugiadas sírias olham para fora de sua tenda durante visita de Stephen O'Brien, diretor de assuntos humanitários da ONU, em Saadnayel no Vale de Bekaa no Líbano(Mohamed Azakir/Reuters/reprodução)
Entre os milhares de refugiados que chegaram à Sérvia de zonas de conflito no Oriente Médio e continuam a viagem pela Europa, mais de quatro mil crianças migraram sem seus pais, segundo diversas organizações que tentam os refugiados. "Entre 15.280 crianças que passaram por aqui, 4.114 viajavam sem seus pais", disse à agência EFE o diretor do Centro de Proteção de Solicitantes de Asilo de Belgrado, Rados Djurovic.
Djurovic afirmou que todas estão em más condições de higiene e muito cansadas. Além disso, muitas sofrem com ferimentos adquiridos no longo caminho.

"Há cada vez mais bebês fragilizados, com resfriados, insolação, diarreia e outros problemas de saúde que podem se agravar muito com a chegada da chuva e do frio", advertiu o especialista.
Com relação aos menores que viajam sem pais, trata-se, em sua maioria, de adolescentes de cerca de 15 anos de idade.

"Em alguns casos, as crianças estão sozinhas porque se perderam dos pais no caminho. Também há grupos inteiros de adolescentes que partiram de suas aldeias para achar trabalho no Ocidente e enviar dinheiro para casa", explicou.

Djurovic apontou também para a existência de redes de tráfico humano que, assim que os menores chegam à Alemanha ou outro país ocidental, os obrigam a mendigar, roubar ou os exploram de outras formas.
"Trata-se de um grupo muito vulnerável, alvo fácil de traficantes de pessoas. As crianças que tratamos não nos confessaram ser vítimas de traficantes, mas temos indícios de que em alguns casos são", explicou.
Dragan Rolovic, diretor do Instituto da Juventude de Belgrado que mantém um centro de alojamento de estrangeiros menores de idade desacompanhados, teve recentemente a sorte de reunir três irmãos afegãos com seu pai.
"Após uma viagem de seis meses a partir do Afeganistão, esses três irmãos, de 8, 10 e 12 anos, perderam seus pais na fronteira entre a Sérvia e a Macedônia quando a polícia chegou ao local. Os refugiados fugiram e se dispersaram, e as crianças se perderam", contou Rolovic.
A polícia encontrou as crianças, desesperadas e assustadas, e as levou ao instituto, que após uma intensa busca de dez dias conseguiu achar o pai e reunir a família.

Os adolescentes que viajam em grupo, sem pais, costumam ter alguém que os espera no país de destino e estão bem informados sobre a rota que devem usar, explicou. Apesar disso, Rolovic disse que eles também são suscetíveis a cair nas redes de tráfico humano.

Um total de 106.172 refugiados, majoritariamente da Síria, Afeganistão e Iraque, foram registrados ao entrar na Sérvia neste ano (até 2 de setembro), segundo o escritório do Alto Comissariado das Nações Unidas para os Refugiados (Acnur) na Sérvia. "Estimamos que quase um mesmo número de imigrantes entrou também, mas sem passar pelo registro", disse a porta-voz do escritório, Mirjana Milenkovic.

A presença de refugiados está aumentando de forma quase exponencial desde maio, quando as solicitações passaram de 200 imigrantes por dia para 3 mil, segundo dados do Acnur.

fonte;EFE/VEJA

Pesquise

Carregando...