quinta-feira, 5 de maio de 2016

Estudantes querem solução para insegurança na Uefs e no conjunto Feira VI

Estudantes da Universidade Estadual de Feira de Santana (Uefs) estão cobrando soluções para o problema de insegurança na instituição e também no conjunto Feira VI, onde boa parte dos alunos residem.

Na manhã de quarta-feira (4), um grupo de estudantes se reuniu na universidade para discutir a situação. O estudante de geografia Luiz Felipe Barreto disse que os assaltos são frequentes tanto em ruas do conjunto Feira VI, onde moram vários alunos, como no campus da Uefs.

De acordo com ele, a falta de segurança tem preocupado bastante os alunos que estão com medo de andar pela universidade e pelo conjunto e terem os seus pertences roubados. Luiz Felipe afirmou que os estudantes querem um esclarecimento da Polícia Militar (PM) em relação ao policiamento e melhoria da segurança.

“Estão acontecendo com muita frequência assaltos no Feira VI e também no campus. A nossa preocupação é que isso piore porque quando o ladrão se sentir a vontade em vir aqui no campus, roubar um aluno e ver que não aconteceu nada a tendência é que ele frequente mais ainda a instituição e venha roubar os alunos. Tem ocorrido muitos assaltos constantemente no Feira VI, principalmente com as mulheres e algumas delas já receberam até agressões por não terem o aparelho celular ou algo que o ladrão quisesse. A gente quer pedir um esclarecimento da própria PM em relação a melhoria da segurança", disse.

A estudante de pedagogia Tainá Carvalho confirmou sobre o problema da insegurança e contou que está se sentindo insegura e vulnerável. Ela relembrou que uma certa vez quando saía de uma aula e caminhava pelo campus com uma colega quase foi assaltada. A estudante disse foi surpreendida por dois homens de moto e ao perceber que era um assalto, saiu correndo e gritando e assim afastou os ladrões.
“Estamos cada vez mais vulneráveis e sempre a gente fica com medo até de sair de uma aula para a outra. Temos medo de andar pela Uefs, justamente por conta dos assaltos. Tentaram me assaltar uma vez, mas no desespero eu saí correndo e gritando e eles fugiram”, relatou.

Morador do conjunto Feira VI há dois anos e também aluno do curso engenharia civil da Uefs, Eduardo Fernando do Prado ratificou o que foi dito pelos demais alunos e segundo ele, a situação de insegurança afeta os moradores do bairro em geral. Ele disse que mudou inclusive de rua para tentar ficar mais protegido, mas nada adiantou. Um vizinho seu foi assaltado na mesma rua por duas vezes em um intervalo de poucos dias.

A Rua O

O estudante afirmou que fica difícil andar pela Uefs, pelo Feira VI até para realizar qualquer serviço ou atividade diária. Ele observou também que a Rua O, que fica na lateral da universidade, por ser uma rua extensa e mal iluminada, é um dos pontos onde os bandidos mais atuam.
“A sensação de insegurança fica em todos os alunos e nos moradores em geral. Deveria haver uma conversa com os representantes do diretório central da Uefs e os alunos para ver uma forma de melhorar isso. Na Rua O, por exemplo, ocorrem muitos assaltos. É uma rua que não tem muita saída e também apresenta uma iluminação muito precária”, pontuou.
A instituição busca melhorias
O reitor da Uefs Evandro Nascimento, disse em entrevista ao Acorda Cidade que a instituição está atenta ao problema da falta de segurança, está buscando melhorias e será elaborado um plano de segurança.
Segundo ele, a iluminação do campus é um elemento fundamental de segurança, assim como a necessidade de instalação de equipamentos de vigilância eletrônica. O reitor destacou ainda, que nos casos de assaltos é muito importante que os alunos registrem boletins de ocorrência até para ajudar no trabalho da polícia de investigação e prisão dos bandidos.
“Vamos tentar prospectar equipamentos para a vigilância eletrônica e estrutura de prédios que resultem em segurança. Vamos criar uma comissão para elaborar o plano de segurança e com isso nós esperamos dentro de alguns meses ter uma resposta para essa situação”, completou.

Policiamento
A segurança no conjunto Feira VI é de responsabilidade da 65ª Companhia Independente de Polícia Militar (65ª CIPM). O comandante da unidade, Major Lobão garantiu que vai melhorar o policiamento e atribuiu os assaltos ao tráfico de drogas.

De acordo com ele, o crime em Feira de Santana cresceu de forma generalizada e os assaltos estão ligados a esta questão, pois muitos jovens que estão nas drogas precisam de dinheiro para financiar o vício. O major disse também que a polícia tem dificuldades para combater esse tipo de crime, pois muitos bandidos que são presos acabam sendo soltos rapidamente. Ele destacou que os assaltos na região do conjunto Feira VI e da Uefs são praticados por homens de moto, geralmente moradores de bairros como Campo Limpo, Mangabeira e Asa Branca.

“O crime está se espalhando por Feira de Santana toda em decorrência do tráfico de drogas. A maioria dos assaltos é praticada por homens em motocicletas e são da Mangabeira, Campo limpo Asa branca. Nossa maior dificuldade é que prendemos e em seguida eles são soltos . Estamos intensificando o policiamento. O pelotão GETO duas rodas vai atuar no Feira VI das 7h às 8h, das 11h às 13 horas e das 18h às 19 h que é o fluxo é maior”, finalizou.

Fonte:Site Acorda Cidade /Feira de Santana /reprodução
Fotos:Acorda cidade/reprodução

Cunha afastado: Joaquim Barbosa diz que decisão de Zavascki foi "corajosa e extraordinária"

Joaquim Barbosa afirma que decisão de Zavascki é 'extraordinária e corajosa'
Foto: Reprodução

O ex-presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), ministro aposentado Joaquim Barbosa, se manifestou sobre a decisão do ministro Teori Zavascki de afastar, em liminar, o deputado Eduardo Cunha (PMDB-RJ), e por consequência, tirá-lo da presidência da Câmara (clique aqui e saiba mais). Em seu Twitter, o ex-ministro afirma que Teori tomou “uma das mais extraordinárias e corajosas decisões da história político-judiciária do Brasil”. 

Barbosa, em seu perfil, lembra que está afastado da vida pública há quase dois anos, que é um cidadão “plenamente livre”, e que, embora haja questões que o incomodem no processo de impeachment, resolveu não participar do debate, mas que isso não o impede, porém, “de indicar algumas pistas, apontar certos deslizes, chamar a atenção para possíveis consequências” da decisão. Barbosa elogia o senador Anastasia, que relata o processo de impeachment no Senado, classificando-o como “de primeira ordem”, por citar Alexander Hamilton, que influenciou as bases do capitalismo americano.“Hamilton era um gênio, uma das mentes poderosas na origem da criação das instituições que moldaram os EUA, copiadas pelo Brasil.

É bonito citar Hamilton! Mas Hamilton e outros constituintes de 1787 tinham justificado temor quanto a certos aspectos do impeachment.Qual era o maior temor de Hamilton em relação ao processo de impeachment? "the demon of faction"!O leguleio incompreensível em curso no Senado nos últimos dias só serve a um propósito: esconder do grande público questões fundamentais”, escreveu o ex-ministro. 

Barbosa diz que o Brasil “não é uma republiqueta qualquer”.Ele narra que em 1868, através do impeachment, se tentou tirar o presidente Andrew Johnson dos EUA, por dois motivos: “um ostensivo e outro, oculto”. Segundo Barbosa, o ostensivo visava a exoneração de um ministro de Estado sem autorização do Senado, e que o presidente se salvou por um voto, mas que a presidência saiu ferida. Na época, os políticos americanos não queriam a “mexicanization” do país. 

A história, para Barbosa, leva a uma reflexão sobre a realidade do Brasil.“Provincianos em sua maioria, loucos para assumir as rédeas do poder, nossos líderes não têm dado bola à dimensão internacional da questão.É que o Brasil de 2016 tem muito mais importância no plano internacional do que tinham os EUA em 1868!Nós temos a mais sólida e estável democracia da América Latina; entre os chamados países emergentes, nada há de comparável ao que temos aqui.Temos um poder Judiciário robusto e independente, coisa rara entre os membros do grupo de países que citei acima.A decisão de hoje do ministro Teori aí está como uma bela demonstração”. Barbosa pontua ainda que, até mesmo nas grandes democracias, “é duvidoso que algum juiz tenha  o desassombro para tomar esse tipo de decisão”.

Fonte:BN

Brasília: Cunha diz que vai recorrer da decisão do STF

O deputado federal Eduardo Cunha (PMDB-RJ)  teve o mandato suspenso na manhã desta sexta (5) pelo ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Teori Zavascki, está reunido com seus advogados e com deputados na residência oficial da presidência da Câmara e disse que vai apresentar recurso da decisão. Cunha está com o deputado Paulinho da Força (SD-SP) e Benjamin Maranhão (SD-PB).
De acordo com sua assessoria, Cunha permanecerá na residência oficial até o julgamento de outra ação no STF, marcado para a tarde de hoje, quando os ministros julgam ação aberta pelo partido Rede, que também pediu à Corte o afastamento de Cunha da presidência da Câmara com base no argumento de que ele não poderia estar na linha de sucessão presidencial, uma vez que é réu na Justiça.

Cunha foi notificado por volta das 7:30 da manhã da decisão do ministro Teori Zavascki, que deferiu uma liminar determinando a suspensão do mandato de Cunha em atendimento a um outro pedido de afastamento do parlamentar, que havia sido feito em dezembro pelo procurador-geral da República, Rodrigo Janot.
Janot argumentou em seu pedido que Cunha se valia do cargo de presidente da Câmara para constranger deputados e atrapalhar o processo de cassação de seu mandato, em tramitação no Conselho de Ética da Casa.
A segurança foi reforçada em frente à residência oficial de Cunha, onde se aglomera uma grande quantidade de jornalistas e começam a chegar manifestantes contrários a Cunha.
Fonte:Bocão News c/adaptações   

Gov. Rui reafirma que não terá reajuste ao funcionalismo público neste ano

O governador Rui Costa reafirmou nesta quarta-feira (4) que os servidores estaduais não terão reajuste de salário neste ano. Ele citou três motivos que o impedem de conceder a majoração salarial.
“Eu queria dar o reajuste, mas, para isso, eu teria que ter arrecadação que permitisse e não descumprisse a Lei de Responsabilidade Fiscal. Você acha que político não gosta de estar bem com a população. No ano passado, apenas cinco estados dos 27 concederam reajuste. A Bahia e o Ceará foram os únicos do Nordeste. Tenho três motivos para não poder dar o aumento. O primeiro é que a LRF proíbe. Segundo eu não tenho caixa e nem orçamento. Se eu tivesse dinheiro e desse o reajuste eu iria responder por improbidade administrativa e teria as minhas contas rejeitadas no TCE e aplicação de multa que eu não teria como pagar”, explicou. O limite prudencial é de 46,5% com gastos para pessoal. O Estado já está em 48%.
Enquanto Rui Costa concedia coletiva de imprensa na sala de reuniões da governadoria, um grupo de servidores protestava nas área externa. Eles reclamam do “reajuste 0”.
Fonte:Bocão News

Concurso: Rede Sarah abre vagas para Salvador

A unidade da rede Sarah de Salvador anunciou a abertura de vagas no período que vai de 9 a 18 de maio de 2016. Os interessados devem se inscrever pelo site da empresa, ou nos locais informados, e efetuar o pagamento de R$ 55 ou R$ 70.
Unidade de Salvador da rede SARAH oferece vagas de emprego
(Foto: Divulgação)
As oportunidades são para os cargos de Técnico em Manutenção – Mecânica e Eletrotécnica e Oficial de Manutenção – Operador de Caldeira, Mecânica, e Elétrica. Os interessados devem ter o ensino médio completo e curso técnico para algumas funções. Além disso, é necessário possuir experiência mínima de seis meses comprovada em carteira de trabalho.
O profissional assinará contrato em carga horária com 44 horas semanais recebendo um salário bruto que varia de R$ 3.682,25 a R$ 5.083,55.
Além da capital baiana, as vagas são ofertadas para unidades da rede em Brasília, Fortaleza e Belo Horizonte. 

Fonte:Correio da Bahia

Pesquise

Carregando...